Loading...
Menu

Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2011. Precursor, TÓIN inaugurou o formato de espetáculo destinado à primeira infância, bebês de 0 a 03 anos, utilizando a linguagem da dança como motivação. Inspirado em autores da literatura infantil, como Gláucia de Souza e Eva Furnari, Monteiro Lobato e Mário Quintana e em vídeos/youtube Menina Flor; Sapo Xulé; Bebê Jeans; Topo Didio, As esquiletes, etc. Também em memórias de infância dos bailarinos e diretores, incluindo lembranças, relatos, fotos e dossiês. TÓIN priorizou um conjunto de referências pautadas no corpo, como os primeiros sinais que o bebê manifesta através de gestos e movimentos dançados. Entre 2012 e 18, já realizou mais de 200 espetáculos entre locais, regionais e nacionais. É composto de duas atividades em seqüência: espetáculo e “oficininha”. Classificação etária: livre. Recomendado para bebês de 0 a 3 anos e acompanhantes.

MAINO Canto e Tambor é um grupo feminino de percussão que interpreta músicas do cancioneiro popular brasileiro e de língua espanhola com arranjos que partem dos tambores e vozes, onde a energia do feminino se apresenta exuberante encantando a todos pela simplicidade e pela beleza. O grupo é dirigido pelo percussionista, Mimmo Ferreira e a preparação e arranjos vocais foram orientados pela cantora carioca, Clarisse Grova. O grupo retorna à ativa depois de ter tido uma pausa devido a processos de mudança de cidade de uma das integrantes e gestação de outras duas integrantes. MAINO quer dizer, Beija-Flor no idioma Guarani.

A banda AfroEntes surgiu em 2015 em Porto Alegre/RS, resgatando um trabalho iniciado no ano de 2000, com a proposta de tocar a música negra em seus variados estilos, com referência na cultura afro-gaúcha. Segundo seus integrantes, o que motiva a existência da banda é a possibilidade de contribuir para a visibilidade da representação do negro e da negra no cenário cultural gaúcho, buscando elementos da presença afro, onde ela se encontra. A afirmação da positividade do legado do povo negro e a sua real importância na construção cultural e artística gaúcha, brasileira e mundial são metas individuais e coletivas dos AfroEntes. O trabalho do grupo tem fundamento nos ritmos populares, urbanos e rurais, profanos e religiosos, como o suingue, samba, samba de roda, reggae, ijexá, congadas, alujás, salsa, entre outros. O coletivo formado por Nina Fola (voz e percussão), Nilson Tòkunbó (violão, cavaquinho e vocais), Vladimir Rodrigues (percussão e vocais).O repertório é composto basicamente por canções autorais, mesclando a tradição de matriz africana com a sonoridade contemporânea, em temas dançantes, reflexivos e afirmativos.

Profissional com mais de 20 anos de carreira, é considerada uma das precursoras do movimento “MPBTRANS”, movimento musical que mescla questões de respeito ao gênero, sexualidade e musica popular brasileira.

Localização

Onde: Rua João Alfredo, 582 - Cidade Baixa

Mapa: goo.gl/maps/j1WgCq8pNEdxGFyM6

Há 40 anos o Museu de Porto Alegre promove a interação da sociedade com diversos patrimônios culturais do município a partir de pesquisas, acervo, exposições e ações educativas. Seu acervo é formado por mais de 1.300 objetos dos séculos XIX e XX, como instrumentos musicais, mobiliário e indumentária; 200mil itens arqueológicos provenientes de áreas de ocupação indígena anteriores à chegada dos colonizadores, e oriundos de sítios ocupados entre os séculos XVIII e XX; também estão sob sua guarda cerca de 9mil imagens dos séculos XIX e XX, com registros de diferentes aspectos da cidade, e mais de 400 cartões postais das primeiras décadas do século XX.
A sede do Museu é uma edificação tombada como Patrimônio Histórico Municipal em estilo luso-colonial construída entre 1845 e 1853, na antiga Rua da Margem. O jardim do Museu se estende por 3.000 m², com espaço para eventos e mais de 150 espécies de flora para apreciar.

QUE RUFEM OS TAMBORES

se as últimas noites foram incríveis, imaginem essa!