/ Pinacoteca Ruben Berta

PINACOTECAA Pinacoteca integrou o projeto de museus regionais distribuídos em diversos pontos do Brasil, criados na década de 1960 por Assis Chateaubriand. Seu nome homenageia o pioneiro da aviação comercial do Brasil, Ruben Berta, presidente da VARIG e colaborador voluntário no transporte das coleções para seus lugares de destino. A instalação do conjunto de peças reservado para Porto Alegre ocorreu em 1967, no prédio da Rádio Farroupilha, localizado no Morro Santa Teresa.

Em 1971, alguns anos após a morte de Chateaubriand, a presidência dos Diários Associados doa a Pinacoteca Ruben Berta para a Prefeitura de Porto Alegre, sendo a partir de então exibida no Paço dos Açorianos, onde permaneceu por dez anos. No entanto, com a progressiva ocupação do prédio para atividades administrativas, as salas expositivas foram reduzidas e deixaram de oferecer as condições adequadas. Em 1982, um convênio com o Governo do Estado possibilitou a transferência do acervo para a reserva técnica MARGS. Somente a partir do final dos anos 80 a coleção começou a ser estudada e reapresentada em mostras curatoriais, sendo realizado o tombamento e progressivo restauro das peças danificadas.

Em 2008 a Pinacoteca retorna ao Paço dos Açorianos onde permaneceu até a destinação de sua atual sede, própria e definitiva. O casarão, situado na Rua Duque de Caxias em frente ao Solar dos Câmara, é um exemplar expressivo do estilo eclético em Porto Alegre, e após a restauração foi inaugurado em 2013.

O ACERVO

O conjunto de 125 obras que integram a Pinacoteca Ruben Berta permanece como um acervo fechado, preservando os conceitos originais do seu criador, Assis Chateaubriand. Constam na coleção obras de artistas ativos no século XIX, tais como Almeida Júnior e Pedro Américo; peças de modernistas como Portinari, Di Cavalcanti e Lasar Segall; artistas projetados na década de 1960, como Manabu Mabe; atuantes no Rio Grande do Sul, como Francisco Stockinger e Angelo Guido e vários outros mestres de relevância nacional; além de diversas criações estrangeiras, em especial exemplares da arte britânica, como Alan Davie, Allen Jones e Graham Sutherland e alguns outros.


EXPOSIÇÕES EM CARTAZ

ESPELHO do artista André Severo – projeto contemplado com o XV Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia 2015, a exposição tem a imagem, o tempo e a memória como elementos latentes de sua estruturação e busca dar testemunho da imponderabilidade da experiência criativa e de sua eminente relação com os condicionantes espaciais e temporais que definem algumas de suas possibilidades de apresentação. Elaborada através de uma série de fotografias e de vídeos articulados com uma seleção de pinturas dos acervos das Pinacotecas Ruben Berta e Aldo Locatelli, a instalação insere-se na dinâmica de questionamento entre as instâncias processuais e os suportes de registro dos trabalhos poéticos que André Severo vem realizando, e passa a ser também uma investigação sobre as possibilidades associativas e dissociativas de imagens dentro do ambiente expositivo.

PROGRAMAÇÃO MUSICAL

19h30 – Choro das Gurias

Grupo de choro formado por jovens mulheres instrumentistas, que se destaca pela sonoridade camerística. Ju Rosenthal no cavaquinho, Pamela Amaro no pandeiro, Stefania Colombo na flauta, Vitoria Gautto no clarinete, Caroline Guarnieri no sax tenor e Julia Valentini  no violão sete, com arranjos de Elias Barboza.

20h30 – Catarina Domenici & James Correa, piano e violão

Catarina Domenici é doutora em Piano Performance na Eastman School of Music (EUA), na classe da renomada pianista Rebecca Penneys, onde recebeu o Prêmio Lizie Teege Mason de melhor pianista. Além de reconhecida solista detentora de prêmios expressivos ao longo da carreira, gravou o CD Porto 60, premiado com dois troféus Açorianos. Doutor em Música (PhD) pela State University of New York at Buffalo (EUA), mestre em composição e bacharel em violão pela UFRGS, as obras de James Correa têm sido interpretadas na Argentina, Canadá, Estados Unidos, Europa e nos mais importantes eventos dedicados à música contemporânea no Brasil.

22h00 – João Maldonado

Tem uma trajetória de 33 anos como pianista, organista, guitarrista, compositor, produtor musical e mais de 40 obras gravadas. Ex-tecladista do TNT, tocou e gravou com diversos músicos e bandas de rock, jazz, blues, entre eles: Adriana Calcanhoto, Charles Master, Solon Fishbone, Fernando Noronha, Garotos da Rua, Acústicos e Valvulados, etc.

23h00 – Jam Session Catarina Domenici & João Carlos Maldonado

LOCALIZAÇÃO

Localização: Rua Duque de Caxias, 973 / Bairro Centro Histórico
Telefone: (51) 3224-6740 (51) 3289-8292
E-mail: acervo@smc.prefpoa.com.br

Ver no mapa

 

VENHA DE TRANSPORTE PÚBLICO:

Linhas de Ônibus: C1 e C3
Linha de Táxi-lotação: Rio Branco, 05.1
POA bike: estações mais próximas, Avenida Loureiro da Silva, 945 / Em frente a Escola Técnica Estadual Parobé ou Avenida Desembargador André da Rocha, 49 / Esquina Avenida João Pessoa