Festival de Cinema de Gramado anuncia longas e homenageados

Cesar Troncos, Troféu Kikito de Cristal. Foto: Alejandro Persichetti/Divulgação

 

Em um ano desafiador, em que o mundo precisou encontrar outras formas de existir e continuar, o Festival de Cinema de Gramado (FCG) também se reinventa. A 48ª edição do evento, que acontece entre 18 e 26 de setembro, será multiplataforma e, ainda que as equipes já tenham encontrado há meses alternativas para o fazer diário de organização e produção, foi nesta terça-feira, 18, que o público e a imprensa puderam perceber como será o novo formato. A tradicional coletiva de imprensa, que sempre reuniu um grupo importante de jornalistas culturais atentos às novidades de um dos mais importantes festivais de cinema do país, desta vez cedeu lugar a um programa de televisão. Transmitido pela TV Educativa de Porto Alegre (TVE RS) e pelos sites tanto da TV quanto do Festival, além das redes sociais, a primeira experiência já indica o quanto o alcance pode aumentar.

Com as presenças físicas do curador Marcos Santuario e do presidente da Gramadotur, Rafael Carniel, e com a participação virtual dos curadores Pedro Bial e Soledad Villamil, foram divulgados os longas-metragens brasileiros e estrangeiros selecionados e os homenageados.

Neste ano, 146 longas-metragens brasileiros (LMB) e 93 estrangeiros (LME) participaram da seleção. As inscrições dão a dimensão da diversidade cultural do Brasil e dos países ibero-americanos. São Paulo, Rio de Janeiro e  Rio Grande do Sul lideraram as inscrições na categoria LMB, com 46, 30 e 13 títulos inscritos, respectivamente. Já Argentina, Espanha, Uruguai e México saíram à frente com as inscrições entre os longas-metragens estrangeiros, com 49, 10, 6 e 5 títulos inscritos, respectivamente. Ao todo, foram 15 estados mais o DF e 14 países.

“Sempre tivemos orgulho do Festival que construímos, mas este ano tem um sabor ainda mais especial. Sabemos o impacto que o Festival de Cinema de Gramado tem para a carreira dos filmes. Manter a realização do evento e essa janela aberta para o mundo é, sobretudo, um compromisso que há 48 anos mantemos com o setor. E como sempre podemos tirar o melhor das situações adversas, não podemos deixar de comemorar o alcance extraordinário que o Festival de Cinema de Gramado terá a partir da exibição pela televisão e por streaming. Esta já é uma edição histórica”, avalia o presidente da Gramadotur, autarquia municipal responsável pela realização do Festival, Rafael Carniel.

 

Longas-metragens brasileiros (LMB) selecionados:

Aos pedaços – Rio de Janeiro
92’ – Drama ficção experimental
Direção: Ruy Guerra

King Kong em Asunción – Pernambuco
90′ – Ficção
Direção: Camilo Cavalcante

Me chama que eu vou – São Paulo
70’10 – Documentário
Direção: Joana Mariani

O Samba é primo do Jazz – Rio de Janeiro
70’06″ – Documentário
Direção: Angela Zoé

Por que você não chora? – Distrito Federal
98′ – Ficção / Drama
Direção: Cibele Amaral

Todos os mortos – São Paulo
120’ – Drama
Direção: Caetano Gotardo & Marco Dutra

Um animal amarelo – Rio de Janeiro
115’ – Ficção
Direção: Felipe Bragança

Longas-metragens estrangeiros (LME) selecionados:

Dias de Inverno – México
90’ – Ficção
Direção: Jaiziel Hernández

El Gran Viaje al País Pequeño – Uruguai
105’47” – Documentário
Direção: Mariana Viñoles

El Silencio del Cazador – Argentina
103’20” – Drama / thriller
Diretor:  Martin Desalvo

La frontera – Colombia
89’36” – Drama social
Direção: David David

Los Fuertes – Chile
98’ – Drama, Romance, LGBT
Direção: Omar Zúñiga

Matar a un Muerto – Paraguai
87’ – Drama
Direção: Hugo Giménez

Tu me manques – Bolívia
105’ – Drama
Direção: Rodrigo Bellott

 

CURTAS-METRAGENS GAÚCHOS
A grande noite de premiação dos vencedores do Prêmio Assembleia Legislativa de Cinema – Mostra Gaúcha de Curtas, conhecido carinhosamente como Gauchão, será na quarta-feira, 23 de setembro. A cerimônia será transmitida direto do Palácio dos Festivais, sem plateia, mas o público poderá acompanhar tudo de casa. Os dezenove selecionados foram divulgados na primeira semana de agosto. Confira todos os títulos aqui.

 

HOMENAGENS
Completando o casting de homenageados em 2020, ao lado de Laís Bodanzky, que recebe o Troféu Eduardo Abelin, e Marco Nanini, homenageado com o Troféu Oscarito, a organização do Festival divulga os nomes homenageados com os Troféus Cidade de Gramado e Kikito de Cristal.

 

Denise Fraga, Troféu Cidade de Gramado. Foto: Willy Biondani/Divulgação

 

Troféu Cidade de Gramado é concedido a Denise Fraga
Versátil, Denise Fraga é atriz, autora de dois livros e produtora de teatro, televisão e cinema. Na telona, atuou em 12 longas-metragens, entre os quais As Melhores Coisas do Mundo, dirigido pela também homenageada Laís Bodanzky, e Por Trás do Panoque deu à Denise o Kikito de Melhor Atriz durante o 27º Festival de Cinema de Gramado, em 1999. Denise Fraga tem construído uma trajetória reconhecida nas artes cênicas, especialmente em montagens populares de textos clássicos. Na televisão, desenvolveu diversos programas para o Fantástico, entre eles o quadro Retrato Falado, no ar por oito anos, além de atuar em novelas, humorísticos e minisséries. No YouTube, no canal Eu de Você, mesmo nome do monólogo com o qual estava em cartaz antes da pandemia, Denise apresenta a websérie Horas em Casa, com novos episódios a cada sábado. “O Festival de Gramado é particularmente importante na minha vida. Fui muito feliz em Gramado quando a gente fez Por trás do pano, nosso primeiro filme juntos*. Temos essa parceria sólida na vida e na arte. Nossos filhos eram pequenos, o mais novo estava com seis meses, mas a gente foi. Era muito importante estar no Festival. E foi lindo ter ganho o festival”. *Denise Fraga se refere ao cineasta e também marido Luiz Villaça, que dirigiu Por trás do pano, vencedor nas categorias Melhor Filme e Melhor Atriz, em 1999.

Troféu Kikito de Cristal vai para o ator uruguaio César Troncoso
Habitué do Festival de Cinema de Gramado há mais de 30 anos, o uruguaio César Troncoso frequenta o evento desde quando fazia a cobertura para a Revista da Cinemateca Uruguaia. O primeiro prêmio internacional do ator foi conquistado no Festival de Gramado. Em 2007, Troncoso recebeu o Kikito de Melhor Ator entre os longas-metragens estrangeiros pela atuação em O Banheiro do Papa, dirigido por César Charlone e Enrique Fernández. Rosto conhecido do público brasileiro, César participou, ao longo da carreira, de 15 longas-metragens, muitos deles no Brasil, como Em teu nome e A Oeste do Fim do Mundo, ambos dirigidos por Paulo Nascimento, Faroeste Caboclo, de René Sampaio, O Tempo e o Vento, de Jayme Monjardim, Tim Maia, de Mauro Lima, e Elis, de Hugo Prata.