“A Cordilheira dos Sonhos”, de Patricio Guzmán, abre o festival É Tudo Verdade

“A Cordilheira dos Sonhos” (2019), de Patricio Guzmán. Foto: Festival É Tudo Verdade/Divulgação

 

Em entrevista coletiva online na manhã desta quarta-feira (9/9), o diretor-fundador do festival É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários, Amir Labaki, apresentou o programa da segunda fase do festival em 2020. A 25ª edição do É Tudo Verdade exibirá, de 23 de setembro a 4 de outubro, um total de 60 longas e curtas-metragens em competição e hors-concours, de forma gratuita, em plataformas de streaming.

“Circunstâncias emergenciais exigem soluções excepcionais. A pandemia inviabilizou nossa 25ª edição em salas, mas vamos celebrar esta marca histórica com uma segunda etapa também digital, reafirmando em sintonia com nossos patrocinadores e parceiros a tradição de excelência de nossas competições, sessões especiais, palestras e debates”, disse Labaki. “Comemoro em especial a retomada da Conferência Internacional do Documentário, realizando online sua 17ª edição ao lado do Itaú Cultural“.

As produções premiadas pelos júris do É Tudo Verdade 2020, nas competições brasileiras e internacionais de longas/médias-metragens e de curtas-metragens, estarão automaticamente classificadas para apreciação à disputa pelo Oscar do ano que vem.

No total, a 25ª edição do É Tudo Verdade apresenta em sua seleção 91 títulos não-ficcionais. Em sua segunda etapa, o É Tudo Verdade exibirá 61 títulos, entre longas, médias e curtas-metragens. Em sua fase inicial, realizada entre 25 de março e 15 de abril passado, o festival apresentou 30 títulos não-ficcionais, entre filmes e séries.

 

SESSÃO DE ABERTURA – 23/9

Um dos vencedores do Olho de Ouro de Melhor Documentário no Festival de Cannes no ano passado, A Cordilheira dos Sonhos (2019), dirigido por Patricio Guzmán, será o filme de abertura da fase competitiva da 25ª edição do É Tudo Verdade, em sessão especial para convidados no Drive-in Belas Artes, em São Paulo, no dia 23 de setembro. No mesmo dia, às 20h30min, o filme será exibido também via streaming, dentro da programação online do festival.

No Chile, quando o Sol nasce, escala muros, colinas e cumes até atingir a última rocha no topo dos Andes. A cordilheira está em todo lugar, mas, para os chilenos, é muitas vezes um território desconhecido. Depois de explorar o norte e o sul do país em outros documentários, o diretor Patricio Guzmán se viu tentado a filmar essa imensa construção para explorar seus mistérios, poderosos segredos do passado e do presente chilenos.

Guzmán encerra a trilogia formada ainda por Nostalgia da Luz (2012) e O Botão de Pérola (2015) num ensaio entre o memorialístico e o político sobre os avanços sociais do governo Allende (1970 – 1973), a repressão brutal da ditadura Pinochet (1973 – 1990) e a dura herança atual da política econômica desenvolvida no período autoritário.

“A Cordilheira dos Sonhos” (2019), de Patricio Guzmán. Foto: Festival É Tudo Verdade/Divulgação

SESSÃO DE PREMIAÇÃO E ENCERRAMENTO – 4/10

Pela primeira vez, o É Tudo Verdade terá uma sessão especial de encerramento, logo após a Cerimônia de Premiação. O filme para esta sessão será anunciado nas próximas semanas.

Dez longas-metragens brasileiros em competição serão exibidos online ao público da 25ª edição do É Tudo Verdade, em sessões diárias, às 21h. Os links das exibições estarão disponíveis no site do evento.

Sempre às 17h do dia seguinte de cada estreia em streaming, os diretores dos longas-metragens participarão de um debate virtual, na plataforma online do festival.

“Os Quatro Paralamas”, de Roberto Berliner. Foto: Festival É Tudo Verdade/Divulgação