Arte em tempo de pandemia: conheça 12 museus sem sair de casa

A tecnologia sempre foi uma ferramenta valiosa para a exploração de museus e acervos artísticos e históricos. Graças a recursos como audioguias, realidade aumentada e experiências em 360º, a visita e a interação com as instituições culturais e suas coleções ficaram ricas e instigantes, engajando ainda mais o público e ampliando o alcance de seus conteúdos.

Nestes tempos de isolamento social, em que os museus estão fechados ou com seu acesso restrito, as artes visuais também encontraram o seu novo normal:, os sites que mostram coleções são uma excelente – e virtualmente a única – forma de descobrirmos ou revisitarmos grandes mestres e suas obras. Selecionamos aqui 12 museus internacionais que você pode conhecer sem sair de casa – incluindo visitas virtuais e detalhamento em alta definição de obras dos seus acervos. Clicando no alto da página em Museus, você vai encontrar uma lista de quase 80 instituições e centros culturais brasileiros que também recomendamos. Pronto para a nossa viagem virtual?

RIJKSMUSEUM (Amsterdã)

Começamos nosso passeio artístico pelos Países Baixos. O impressionante prédio do Rijksmuseum – que por si só já vale a visita – abriga 800 anos de arte holandesa, incluindo obras-primas como A Leiteira (cerca de 1660), de Vermeer, e A Ronda Noturna (1642), de Rembrandt. São 80 galerias com 8 mil telas, desenhos, gravuras e esculturas, que vão desde a Idade Média até Piet Mondrian.

A Leiteira (cerca de 1660), de Vermeer

MUSÉE D’ORSAY (Paris)

Outro prédio que é uma obra-prima, o Musée d’Orsay fica instalado em uma antiga estação ferroviária, construída para a Exposição Universal de 1900, no centro da capital francesa, nas margens do Sena, em frente aos Jardins das Tulherias. Seu acervo exibe coleções de arte, decoração e mobiliário do período de 1848 a 1914. É o museu dos impressionistas por excelência, com dezenas de telas de mestres como Cézanne, Van Gogh, Gauguin, Monet, Manet, Renoir, Degas e Toulouse-Lautrec, entre muitos outros.

MUSEU NACIONAL DE ANTROPOLOGIA (Cidade do México)

Situado dentro do Parque de Chapultepec na capital mexicana, o museu contém importantes artefatos arqueológicos e antropológicos das culturas précolombianas da Mesoamérica, como a monumental Pedra do Sol – talvez a obra mais famosa da escultura asteca –, a estátua asteca de Xochipilli e a reprodução do Templo da Serpente Emplumada em Teotihuacán. O Museu Nacional de Antropologia tem 23 salas de exibição espalhadas por uma construção de arquitetura impressionante, com átrios de exposição em redor de um pátio com um grande lago e uma alta estrutura em forma de guarda-chuva, da qual cai uma cascata artificial, suportada por um só pilar esguio revestido de bronze com relevos.

MoMA (Nova York)

Primeiro museu dedicado à arte moderna do mundo, o MoMA foi inaugurado em 1929, no centro de Manhattan. A coleção de mais de 150 mil itens oferece uma consistente visão panorâmica da arte moderna e contemporânea – desde as vanguardas europeias a partir da década de 1880 até o cinema, design e arte performática de hoje. Além de exposições temporárias dos principais nomes da arte atual, o Museu de Arte Moderna exibe joias de sua coleção como as Nenúfares de Claude Monet, A Noite Estrelada (1889), de Vincent van Gogh, e Les Demoiselles d’Avignon (1907), de Pablo Picasso.

A Noite Estrelada (1889), de Vincent van Gogh

MUSEU HERMITAGE (São Petersburgo)

É um dos maiores museus do mundo, com mais de 3 milhões de peças representando Antiguidade, Europa Ocidental, Oriente Médio, Rússia e muitas outras épocas, países e regiões. Sua fundação remonta a 1764, quando Catarina, a Grande, comprou uma grande coleção de pinturas da Europa Ocidental. O museu está instalado em cinco edifícios localizados no centro histórico de São Petersburgo, na margem do rio Neva. No Hermitage, você pode ver obras-primas de Leonardo da Vinci, Rafael, Ticiano, Rembrandt, Rubens, Matisse e Picasso.

MUSEU PERGAMON (Berlim)

A Ilha dos Museus na capital alemã concentra cinco instituições culturais com preciosos acervos de arte, arqueologia e história. O destaque dessa ilha no rio Spree, no centro de Berlim, é o Museu Pergamon, cujo prédio original foi inspirado no Altar de Pérgamo. Hoje, esse magnífico museu está dividido em três partes: a coleção de arte da antiguidade clássica, onde se destacam justamente o fabuloso Altar de Pérgamo e as Portas do Mercado de Mileto; o Museu do Antigo Oriente Próximo, com a grandiosa Porta de Ishtar e uma rica coleção de objetos babilônios e sumérios; e o museu de arte islâmica, com destaque para a Fachada de Mshatta, um palácio do século 8 descoberto na atual Jordânia.

Porta de Ishtar

MUSEO NACIONAL CENTRO DE ARTE REINA SOFÍA (Madri)

Fundado em 1990, o Museo Reina Sofía é um símbolo da transição espanhola para a democracia – especialmente por abrigar em definitivo o grandioso painel Guernica (1937), de Pablo Picasso, que retornou ao país em 1981, depois de ter permanecido no MoMa, em Nova York, desde a Segunda Guerra. O edifício do Reina Sofia é composto por duas partes: a nova ala do museu, inaugurada em 2005 e construída sob a direção do arquiteto francês Jean Nouvel, e a parte que foi originalmente erguida como Hospital Geral, empreendida por Filipe II no século 16 e mais tarde por Carlos III. O acervo do museu reúne uma excelente representação das vanguardas internacionais do século 20, com destaque para obras dos mestres espanhóis modernos Picasso, Joan Miró e Salvador Dalí.

Guernica (1937), de Pablo Picasso

TATE MODERN (Londres)

Essa galeria britânica é um dos maiores museus de arte moderna e contemporânea do mundo. Faz parte de um grupo de instituições que inclui ainda Tate Britain, Tate Liverpool, Tate St. Ives e Tate Online. O museu ocupa a antiga Central Elétrica de Bankside, no bairro londrino de Southwark. A Tate mantém uma coleção nacional de arte britânica de 1900 até os dias atuais, além de exemplares de arte moderna e contemporânea internacional. Entre as obras que você pode encontrar na Tate está a monumental instalação escultórica Babel (2001), do artista brasileiro Cildo Meireles.

MALBA (Buenos Aires)

O Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires (MALBA) está localizado em um moderno prédio construído no bairro de Palermo especialmente para abrigar a coleção do empresário Eduardo Costantini. Focado na conservação, estudo e difusão da arte latino-americana desde princípios do século 20 até a atualidade, o MALBA reúne obras dos principais artistas do continente neste período, como Frida Kahlo, Joaquín Torres-García, Diego Rivera, Antonio Berni, Cândido Portinari, Wifredo Lam e David Alfaro Siqueiros, entre muitos outros nomes. É lá onde está exposta a célebre tela Abaporu (1928), da pintora brasileira Tarsila do Amaral.

MUSEU DO LOUVRE (Paris)

Impossível deixar de fora esse patrimônio cultural da humanidade. O maior museu de arte do mundo está localizado na margem direita do rio Sena, no centro da capital francesa, abrigando aproximadamente 38 mil objetos, da préhistória ao século 21. Em 2019, o Louvre foi o museu de arte mais visitado do mundo, recebendo 9,6 milhões de pessoas. A gigantesca e variada coleção do museu inclui preciosidades como as esculturas Vitória de Samotrácia e Vênus de Milo e as telas A Rendeira, de Vermeer, e A Liberdade Guiando o Povo, de Delacroix – sem esquecer a icônica Mona Lisa, de Leonardo da Vinci.

Mona Lisa (c. 1503 – 1519), de Leonardo da Vinc

MUSEU DO PRADO (Madri)

Da mesma forma que o Louvre, uma turnê pelos grandes museus do planeta não pode esquecer de passar pelo Prado. O mais importante museu da Espanha foi mandado construir por Caros III, mas só inaugurado muitos anos depois, em 1819. Localizado no Parque del Retiro na capital espanhola, o museu abriga uma coleção preciosa de obras-primas da pintura europeia, que inclui telas como A Anunciação, de Fra Angelico, O Jardim das Delícias, de Bosch, O Cavaleiro com a Mão no Peito, de El Greco, As Meninas, de Velázquez, e O 3 de Maio de 1808 em Madri, de Goya – além das célebres e enigmáticas Pinturas Negras goyescas, série de murais ocupando todo um setor do Prado que recria a antiga quinta do pintor.

O 3 de Maio de 1808 em Madri, de Goya

MUSEU SOLOMON R. GUGGENHEIM (Nova York)

Encerramos nossa excursão por grandes museus do mundo voltando a Nova York, sede do primeiro Museu Guggenheim, inaugurado em 1937. O prédio com passarelas circulares em espiral, um dos cartões postais da cidade, traz a assinatura do arquiteto Frank Lloyd Wright e abrigou a sede definitiva do museu a partir de 1959. O museu possui uma importante coleção de arte moderna, reunida pelo seu fundador e sua sobrinha Peggy Guggenheim, além de receber grandiosas exposições de artistas modernos e contemporâneos. Além da instituição em Nova York, a fundação mantém a Coleção Peggy Guggenheim, em Veneza, o Museu Guggenheim Bilbao, na Espanha, inaugurado em 1997 – e que também ocupa um prédio de linhas arrojadas, projetado pelo arquiteto Frank Gehry –, e o Guggenheim Abu Dhabi, atualmente em construção nos Emirados Árabes Unidos, também assinado por Gehry.