Exposição “Pasteur, o Cientista” é prorrogada até 31 de janeiro no Sesc Interlagos

Foto: Sesc São Paulo/Divulgação

O Sesc São Paulo anuncia a prorrogação da mostra Pasteur, o Cientista, na unidade Interlagos, até 31 de janeiro. Figura emblemática da ciência, o francês Louis Pasteur (1822 – 1895) foi um pesquisador obstinado e um mestre na divulgação científica. A mostra exibe as descobertas do cientista por meio de obras organizadas em ordem cronológica e traz ao público desde a solução de um enigma químico até a vitória de Pasteur contra a raiva, doença que, no século 19, era tida como incurável.

Organizada e concebida em 2017 pela Universcience, órgão do Ministério da Cultura da França, a exposição tem curadoria de Éric Lapie – que assinou mostras como Leonardo da Vinci, a Natureza da Invenção e Darwin, e faleceu antes que essa exposição estivesse pronta – e Astrid Aron e curadoria científica de Maxime Schwartz, e já foi exibida no Palais de la Découverte, em Paris. Pela primeira vez fora da França, para sua estreia no Brasil, a exposição contou com curadoria nacional de Juliana Manzoni Cavalcanti e Vanessa Pereira Mello, pesquisadoras doutoras da Fiocruz.

Foto: Sesc São Paulo/Divulgação

Inaugurada no Brasil em fevereiro, a mostra teve sua visitação interrompida devido às restrições impostas pela pandemia de Covid-19. Reaberta em outubro, a exposição agora pode ser visitada gratuitamente pelo público de quarta a sábado, das 10h30 às 15h, mediante agendamento prévio pelo site sescsp.org.br/interlagos. As visitas à exposição de Pasteur têm capacidade reduzida para 10 pessoas a cada 30 minutos e o uso de máscara facial é obrigatório para todas as pessoas, durante todo o período. Ao final de cada circuito, antes de receber novos visitantes, é realizada higienização do espaço, das obras e de equipamentos.

A exposição convida o público a conhecer e celebrar vida e obra de Pasteur por meio de vídeos, grafismos, animações, projeções, textos e desenhos. O visitante não apenas conhece a ciência do século 19 – época de desenvolvimento e inovações – como também revive as descobertas do icônico cientista em experiências interativas e lúdicas. Pasteur, o Cientista tem, ainda, a proposta de trazer a reflexão e discussão sobre a valorização da ciência e do ato histórico como elemento constituinte não somente da memória e da identidade, mas como a mais sólida base para o crescimento e o desenvolvimento da humanidade.

Foto: Sesc São Paulo/Divulgação