Galeria carioca Simone Cadinelli abrirá ao público com a exposição “Ato 3 – Antecipar o Futuro”

“Laços Afetivos” (2019), pintura de Pedro Carneiro/Divulgação

A galeria Simone Cadinelli Arte Contemporânea (Rua Aníbal de Mendonça, 171, Ipanema), no Rio de Janeiro, irá abrir ao público pela primeira vez desde que começou a pandemia com a exposição Como Habitar o Presente? Ato 3 – Antecipar o Futuro, em cartaz de 13 de outubro a 16 de janeiro de 2021. A curadora Érika Nascimento reuniu obras, várias delas inéditas, em fotografia, vídeo, instalação, pintura e objetos de 21 artistas, de diferentes cidades, e muitos deles jovens.

O público poderá ver pessoalmente também os 29 vídeos dos 27 artistas que fizeram parte do Ato 1 e do Ato 2, exibidos de julho a setembro na vitrine da galeria, voltada para a Rua Aníbal de Mendonça, em Ipanema, e em seu site. Assim, a exposição abrange 62 obras de 45 artistas.

Serão seguidos todos os protocolos no combate ao Covid-19, de modo a dar segurança e conforto ao público. A exposição também poderá ser vista no site da galeria, agora como um tour virtual 3D (viewing room).

“Entretanto” (2019), pintura de Stella Margarita/Divulgação

Os artistas integrantes do Ato 3 são Agrade Camíz (Rio), Agrippina R. Manhattan (São Gonçalo, Estado do Rio), Caroline Valansi (Rio), Claudio Tobinaga (Rio), Denilson Baniwa (Mariuá, Amazonas), Efe Godoy (Sete Lagoas, Minas), Fernanda Sattamini (Rio), Fernando Brum (Rio), Franklin Cassaro (Rio), Gilson Plano (Goiânia), Isabela Sá Roriz (Rio), Jimson Vilela (Rio, vive em São Paulo), Leandra Espírito Santo (Rio, vive em São Paulo), Márcia Falcão (Cabo Frio, Estado do Rio), Pedro Carneiro (Rio), Rafael Adorján (Rio), Simone Cupello (Niterói, Rio de Janeiro), Stella Margarita (Treinta y Tres, no Uruguai, radicada no Rio), Virgínia Di Lauro (Barra do Choça, Bahia, vive e trabalha em Porto Alegre), Vitoria Cribb (Rio) e Yhuri Cruz (Rio).

“Ásperos (fotos de palavras e outras)”, (2019), objeto de Simone Cupello/Divulgação

 

“Akatombo-type 93” (2020), pintura de Claudio Tobinaga/Divulgação

 

“Tô com Medo de Tiro” (2020), pintura de Márcia Falcão/Divulgação

 

“Limite I,I”, de Gilson Plano/Divulgação