In-Edit Brasil terá masterclass com o diretor inglês Julien Temple

“Ibiza – The Silent Movie”, de Julien Temple. Foto: In-Edit Brasil/Divulgação

O In-Edit Brasil – Festival Internacional do Documentário Musical chega à sua 12ª edição e acontece de 9 a 20 de setembro, com mais de 60 filmes nacionais e internacionais inéditos no circuito comercial. A Mostra Portugal, a masterclass com o cultuado diretor inglês Julien Temple, entrevistas, debates e shows exclusivos com Autoramas, Felipe Cordeiro e Flicts completam a programação de 2020.

Pela primeira vez o festival será online com acesso em todo território nacional. Toda programação poderá ser acessada pela plataforma do festival e também através de plataformas parceiras (Sesc Digital e Spcine Play), a R$ 3 e gratuitamente. Os interessados poderão comprar pacotes de acessos com desconto.

Toda a receita arrecadada pelo festival será destinada a trabalhadores da música e do cinema afetados pela pandemia, através do projeto independente Conexão Música e do FAPAN – Fundo de Amparo aos Profissionais do Audiovisual Negro, gerido pela APAN (Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro).

 

“My Darling Vivian”. Foto: In-Edit Brasil/Divulgação

 

No Panorama Brasileiro, dividido em Competição NacionalMostra BrasilBrasil.Doc e Curtas Brasileiros, o festival celebra mais um ano com uma ótima safra de documentários musicais apresentando personagens como Dorival Caymmi, Pitty, Arto Lindsay, Mestre Cupijó, banda Flicts, Quebradeiras de Coco Babaçu, Felipe Cordeiro, Walter Smetak, Autoramas, Amaro Freitas, Mateus Aleluia, Elton Medeiros, o compositor e violonista Aníbal Augusto Sardinha, o Garoto, entre outros.

Já na programação internacional, foram selecionados 22 filmes inéditos. Entre os destaques estão The Quiet One, de Oliver Murray, versão da história do baixista Bill Wyman, dos Rolling Stones,  que abre seu arquivo pessoal com imagens inéditas; White Riot, de Rubika Shah, sobre o movimento Rock Against Racism, que teve apoio de bandas como The Clash, Sham 69 Steel PulseMy Darling Vivian, de Matt Riddlehoover, no qual as filhas do primeiro casamento de Johnny Cash decidem contar sua versão após o sucesso do filme Johnny e JuneAznavour by Charles, de Marc di Domenico, com imagens feitas pelo cantor com uma câmera que ganhou de presente de Edith PiafKate Nash: Underestimate the Girl, de Amy Goldstein, sobre a cantora e compositora Kate Nash, entre outros.

 

“Afro-Sampas” (Mostra Brasil). Foto: In-Edit Brasil/Divulgação

 

Em 2020, o festival apresenta a Mostra Portugal, em parceria com o Instituto Camões, a Embaixada de Portugal e a agência de música Conecting Dots, com uma seleção dos documentários musicais recentes mais destacados do país. “Com o forte crescimento da economia portuguesa, a oferta de documentários musicais no país tem crescido como nunca. Para a ocasião, foram selecionados cinco documentários, além da biopic sensação do ano: Variações, que terá sua pré-estreia brasileira no festival”, conta o diretor artístico do In-Edit Brasil, Marcelo Aliche.

Além dos filmes, o In-Edit Brasil apresentará debates e entrevistas exclusivas com diversos diretores do Panorama Brasileiro e do Panorama Mundial, uma masterclass com o cultuado diretor inglês Julien Temple, mediada pelo jornalista André Barcinski, e uma série de shows especiais com Autoramas, Felipe Cordeiroe Flicts, realizados no Espaço Som (SP), sem plateia, com transmissão ao vivo e gratuita em todo o Brasil.

“Inner Landscape”, de Frank Scheffer. Foto: In-Edit Brasil/Divulgação