Vanessa da Mata imagina-se no futuro como escritora

Foto: Rodolfo Magalhães/Divulgação

A cantora Vanessa da Mata é a nova convidada da série de entrevistas Um Certo Alguém, que vai ao ar nesta quinta-feira (15/10), a partir das 13h, no site do Itaú Cultural. Na resposta a uma das perguntas que lhe foi enviada pelos jornalistas do Núcleo de Comunicação do Itaú Cultural, a cantora de 44 anos e autora de sete álbuns lançados recorda a avó: “A saudade do cheiro dela, das comidas, risadas, de quanto eu me sentia plena perto dela. Acho que isso me traz muito da memória de quem eu sou, das minhas raízes, desse antepassado que acaba lapidando a gente como a gente é”.

O objetivo da série semanal é entrevistar artistas e pessoas do meio da arte e da cultura para criar um material curto e de rápido consumo, em que o entrevistado responde a quatro perguntas: qual é a história de sua maior saudade? O que mais te emociona? Como imagina o amanhã? Quem é?

Depois de falar do passado, ao pensar no presente, Vanessa se emociona com o ser humano, em todos os sentidos: “Do admirável ao decepcionante”, mas também com, em suas palavras, aquela pessoa que consegue perceber a sensibilidade das coisas, de uma beleza original, no sentido maior de expansão de doçura, de amor.

Cinco vezes indicada ao Grammy Latino, tendo ganhado o prêmio em 2008, na categoria Melhor Álbum de Pop Contemporâneo Brasileiro, com o disco Sim, a cantora e compositora imagina o amanhã se dividindo entre as carreiras de cantora e escritora. “Mas, cada vez mais escritora… Com cabelos brancos, enormes, com volume. Trabalhando para uma ONG que ajude e integre uma galera que sai dos abrigos com 18 anos sem ter o que fazer. Eu adoraria ter, criar essa ONG”, revela Vanessa, que se vê hoje firme, doce, estudante, antropóloga, uma pessoa em formação, carregada de música por dentro, cantarolante, indignada com as injustiças do mundo e completamente enfiada no mundo espiritual.