Filmes e séries para celebrar o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+

O episódio que deu origem ao Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ exemplifica bem a representatividade da data: um momento de celebração, sim, mas de luta e reflexão. Em 28 de junho de 1969, em um contexto de progresso social e luta por direitos identitários, conjugada a uma sociedade preconceituosa que criminalizava relações não-heterossexuais e censurava reuniões e festas, um grupo que se reunia no bar Stonewall Inn, em Nova York, resolveu não aceitar a abordagem violenta e abusiva de policiais – o que deu força a movimentos LGBTQIA+ e acabou por dar origem à primeira Parada Gay dos Estados Unidos.

Para celebrar e incentivar reflexão neste dia tão importante, o portal Noite dos Museus lista séries e filmes que falam sobre, são feitos por e abordam temas caros à comunidade LGBTQIA+. Confira as dicas.

Leia mais:
Pinturas que transportam o inverno para as artes visuais
10 museus para conhecer sem sair de casa
Filmes, séries e músicas que levam o universo dos museus a outras plataformas

1. Nanette

Neste especial de comédia de pouco mais de 1h da Netflix, a humorista lésbica Hannah Gadsby reflete sobre como as piadas autodepreciativas e o ambiente em que ela vive passam uma mensagem sobre ela mesma que é incompleta e menos profunda do que ela gostaria. Importante não só para levantar o astral, mas para pensar sobre humor, gênero e sociedade.

2. Sense 8

Criado pelas irmãs Lilly e Lana Wachowski, famosas pela trilogia Matrix, esta série de duas temporadas aborda, de certa forma, temas que as irmãs passaram em suas vidas pessoais – ambas são mulheres transgêneras que passaram pela transição recentemente, de maneira pública. Na série, oito personagens que não se conhecem são conectados emocionalmente e passam a conviver com emoções, sentimentos e anseios uns dos outros.

3. Transparent

A série, que teve quatro temporadas, conta a história de uma família que vive o processo de transição do pai, que se descobre uma mulher transgênero. A série foi cancelada após o protagonista, Jeffrey Tambor, ser acusado de uma série de episódios de assédio sexual.

4. Tom Boy

Este filme de 2011 acompanha a trajetória de uma menina que se muda e passa a conviver com novos vizinhos, até que um deles a confunde com um menino – situação que a criança, que usa cabelo curto e gosta de usar roupas masculinas, aceita e transforma em uma espécie de brincadeira secreta. Uma investigação singela e bonita sobre a descoberta da sexualidade.

5. Moonlight

Grande vencedor do Oscar de 2016, este filme trata sobre sexualidade, mas também é um belo tratado sobre dilemas sociais, drogas, racismo. Enfim, um filme necessário e belíssimo.