Maria Bethânia une literatura e música no programa “Tabuleiro”

 

Pela primeira vez, a cantora Maria Bethânia vai apresentar um programa de rádio. Tabuleiro estreia no dia 4 de novembro na Batuta, rádio de internet do Instituto Moreira Salles. Unindo literatura e música, a série, concebida pela artista, será composta por seis episódios.

Os episódios serão lançados uma vez por semana, toda quinta-feira, até 9 de dezembro. O programa poderá ser acessado exclusivamente no site da rádio, onde ficará disponível de forma gratuita e permanente.

Na série, Bethânia lê textos literários escolhidos pelo poeta Eucanaã Ferraz, consultor de literatura do IMS. A leitura é intercalada por músicas de diversos compositores, selecionadas pela cantora. Todos os episódios são temáticos e costurados com rigor – os textos se relacionam com as músicas, mas descartando ligações óbvias.

A respeito da concepção do projeto, Bethânia comenta: “Foi uma experiência deliciosa. Pude trabalhar com o repertório da música brasileira, que é deslumbrante, e com poetas e escritores. Foi muito prazeroso”.

O episódio de estreia será centrado na produção de Clarice Lispector (1920 – 1977). A artista baiana lê trechos de romances e crônicas da escritora, de quem é notória admiradora. Em paralelo, são reproduzidas canções de representantes da música negra norte-americana, como Billie Holiday, Alberta Hunter e Mahalia Jackson.

A cantora faz, de forma original, essa aproximação entre os dois universos. “Eu escolhi as músicas nas interpretações em que eu as ouvi pela primeira vez, quando me apaixonei pelo blues, pelas vozes negras americanas”, explica. Bethânia dedica o programa ao seu irmão Caetano Veloso, que a apresentou à obra da escritora. Esse episódio dialoga com a exposição dedicada a Clarice Lispector, que será inaugurada neste sábado (23/10), no IMS Paulista.

Intitulado Brasil, sons, sensações, palavras, o segundo episódio estará disponível, no site da Batuta a partir de 11/11. A artista relaciona textos de pensadores como Oswald de Andrade, Mário de Andrade, Davi Kopenawa e Lina Bo Bardi às músicas de Cazuza, Milton Nascimento e Luiz Gonzaga, entre outros.

O episódio seguinte, lançado em 18/11, alterna poesias e composições de Vinicius de Moraes (1913 – 1980). Há sonetos, trechos da peça Orfeu da Conceição, parcerias com Tom Jobim e um amplo arco de intérpretes, de Elizeth Cardoso a Anitta. A obra musical de Chico Buarque, um dos compositores mais presentes na carreira de Bethânia, conduz o quarto episódio que vai ao ar em 25/11. As canções são alternadas com poemas de Carlos Drummond de Andrade (1902 – 1987).

O quinto programa, que estreia em 2/12, estabelece conexões entre as músicas de Caetano Veloso e poemas de autores clássicos, como Arthur Rimbaud, Lord Byron e John Donne, traduzidos por Augusto de CamposTabuleiro se encerra no dia 9/12, com o episódio dedicado à poesia portuguesa, outra paixão da artista. Na trilha sonora estão, por exemplo, Amália Rodrigues, Maria Callas e Dalva de Oliveira.

Quanto ao título do programa, Bethânia conta que, inicialmente, havia pensado em cantarolar “No tabuleiro da baiana tem…” antes dos episódios, como vinheta de abertura. “Depois achei que não era necessário. Mas o Eucanaã sugeriu que ficasse a palavra ‘tabuleiro’”, afirma. “É um lugar de oferta. Estou oferecendo textos e músicas.”

Enquanto o Tabuleiro da baiana não entra no ar, a gente preparou uma playlist especial com canções interpretadas por Maria Bethânia pra você curtir. Boa audição!