Museu do Amanhã pensa as cidades do futuro

 

A partir desta quinta-feira (5/8), a exposição Futuros Urbanos vai promover no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, uma experiência que propõe de forma lúdica reflexões acerca do desenvolvimento das metrópoles. O desenvolvimento das cidades, a mobilidade, as injustiças sociais, a sustentabilidade e a luta por moradia estão em foco na mostra em cartaz de 5 de agosto a 31 de outubro.

Com uma proposta imersiva, Futuros Urbanos convida os visitantes da tecnológica instituição da Praça Mauá a assistir a um vídeo de aproximadamente sete minutos que mostra quatro personagens em sua jornada por vários cenários possíveis para o futuro. Como será a vida nas grandes cidades se os problemas atuais, relativos a moradia, mobilidade urbana e injustiça social apenas se agravarem ao longo das próximas décadas? Que medidas precisam ser implementadas para que possamos dispor de ambientes cada vez mais sustentáveis, acessíveis e justos para todos, além de mais resilientes frente aos desafios que advêm da crise climática? Essas são algumas das questões que guiam a narrativa da exposição.

Inicialmente os personagens transitam por esses ambientes que, quanto mais caóticos ficam, mais incômodos se tornam. Para tentar transformar a realidade, eles começam a imaginar e desenhar projetos modernos e sustentáveis que poderiam atender melhor às necessidades urbanas e humanas.

Ocupando quatro paredes de uma das galerias do museu, as animações retratam transformações em quatro cidades imaginárias na América do Sul, na Ásia, na Europa e na África.

 

Após assistir à animação, os visitantes terão acesso a exemplos de medidas inovadoras que já estão sendo adotadas em várias cidades do mundo, em diversas áreas – como mobilidade urbana e acesso a serviços de saúde. A mostra inclui, ainda, um jogo que aborda a produção de alimentos, no qual são apresentadas estratégias para atender, de forma sustentável, a crescente demanda por comida que acompanha o crescimento populacional.

A exposição está comprometida com a Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), que prevê 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – em especial com o Objetivo 11: Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.

 

 

A mostra Futuros Urbanos foi antecedida por um seminário online, que refletiu sobre a atual condição urbana e imaginou as possíveis cidades das próximas décadas, levando em consideração cinco eixos temáticos: desigualdade social, mobilidade, economia, sustentabilidade e saúde. O evento foi realizado nos dias 23 e 24 de julho, no YouTube do Museu do Amanhã.

Um dos palestrantes foi o economista Sergio Besserman Vianna, economista, coordenador estratégico do Climate Reality Project-Brasile curador de clima e de sustentabilidade do Museu do Amanhã, que falou sobre o impacto das mudanças climáticas nas cidades e os caminhos para mitigá-lo. “As cidades são pessoas já que mais da metade da população mundial vive em centros urbanos. Cidades não são apenas territórios construídos, mas revelam uma profunda história da humanidade, da cidadania”, disse Besserman no encerramento do primeiro dia de conferências.

 

  • Abertura: 5 de agosto.
  • Horários: de quinta a domingo, das 10h às 17h (com última entrada às 16h).
  • Local: Lounge do Museu do Amanhã.
  • Acesso: Será por ordem de chegada. Compre seu ingresso para o Museu do Amanhã aqui.
  • Atenção: A compra do ingresso para o Museu não garante o acesso à experiência, que é sujeita a lotação e tem sessões de, no máximo, 10 pessoas por vez.