10 filmes que fizeram história no Festival de Gramado

 

O mais antigo festival de cinema a ser realizado no Brasil ininterruptamente, o Festival de Gramado será realizado entre os dias 13 21 de agosto. Assim como no ano passado, a 49ª edição do evento seguirá o modelo multiplataforma, unindo a televisão e a internet.

As mostras competitivas serão transmitidas na TV, pelo Canal Brasil e TVE-RS, e por streaming, no Globoplay. Pelo Canal Brasil, os espectadores podem acompanhar, a partir das 21h30min, os longas-metragens brasileiros, estrangeiros e gaúchos, além dos curtas-metragens brasileiros e do filme de encerramento.

No Rio Grande do Sul, a TVE exibirá os curtas-metragens gaúchos de 16 a 19 de agosto, com sessões sempre a partir das 22h30min. Os filmes serão divididos em quatro programas.

Cerimônia de Premiação, que será ao vivo direto do Palácio dos Festivais, também poderá ser acompanhada pela TV e pela internet no sábado, dia 21 de agosto. Às 16h, acontece a entrega dos troféus do Prêmio Assembleia Legislativa – Mostra Gaúcha de Curtas, com transmissão da TVE-RS, e às 21h30min, com transmissão do Canal Brasil, será a vez da tradicional cerimônia de premiação do Festival de Cinema de Gramado com a entrega dos Kikitos.

Para você ir se preparando para a edição 2021, a gente selecionou 10 filmes brasileiros que fizeram história no Festival do Gramado – do primeiro vencedor da competição, o clássico Toda Nudez Será Castigada, até o recente Como Nossos Pais. Confira estes destaques do cinema nacional.

 

  • Toda Nudez Será Castigada (1972): Baseado na peça de Nelson Rodrigues, o longa de Arnaldo Jabor foi o primeiro vencedor do Kikito de Melhor Filme do Festival de Gramado, em 1973. Herculano (Paulo Porto) é um viúvo conservador, que jura a seu filho Serginho (Paulo Sacks) que nunca terá uma outra mulher. No entanto, apaixona-se por uma prostituta, Geni (Darlene Glória), que conhece através de seu irmão Patrício (Paulo César Pereio), interessado em que Herculano volte a sustentar seus vícios de bebida e mulheres. Quando resolve se casar com Geni, gera uma série de conflitos em sua família, entre eles a prisão de Serginho por uma briga de bar. Assista ao filme no YouTube.
“Toda Nudez Será Castigada” (1972). Foto: Divulgação

 

  • Benzinho (2018): O primogênito de uma família de classe média é convidado para jogar handebol na Alemanha e lança sua mãe (Karine Teles) em uma espiral de sentimentos pois, além de ajudar a problemática irmã (Adriana Esteves), lidar com as instabilidades do marido (Otávio Müller) e se desdobrar para dar atenção ao seus outros filhos, ela terá de enfrentar sua partida antes de estar preparada para tal. O filme dirigido por Gustavo Pizzi levou o Prêmio do Júri Popular e ganhou os Kikitos de melhor atriz (Karine) e atriz coadjuvante (Adriana) no Festival de Gramado de 2018. Assista a Benzinho no Globoplay.
“Benzinho” (2018). Foto: Divulgação

 

  • Filhas do Vento (2004): Cida (Taís Araújo) e Ju (Thalma de Freitas) são irmãs e foram criadas em cidadezinha do interior de Minas Gerais pelo severo pai, Zé das Bicicletas (Milton Gonçalves). Cida foge de casa para ser atriz e Ju fica na cidade, casa-se e cuida do pai. As duas se reencontram 45 anos depois no enterro dele, mas o tempo não diminuiu o rancor do passado. O longa deu a Joel Zito Araújo o troféu de melhor diretor, enquanto o elenco levou todos os prêmios masculinos e femininos no Festival de Gramado de 2004. Assista ao filme aqui:

 

  • Sargento Getúlio (1983): O filme conta a história de Getúlio (Lima Duarte), um rude sargento que tem a missão de levar um prisioneiro (Fernando Bezerra), que é inimigo político de seu chefe, de Paulo Afonso a Aracaju. No meio do caminho, em virtude de uma mudança no panorama político, o sargento recebe a ordem para soltar o prisioneiro, mas devido a seu temperamento avesso às mudanças, ele decide terminar a missão que lhe foi confiada, mesmo que tenha de matar para completá-la. Baseado no romance de João Ubaldo Ribeiro, o longa foi escolhido o melhor filme do Festival de Gramado de 1983, além de ter rendido o Kikito de Melhor Ator a Lima Duarte. Assista ao filme aqui:

 

  • Elis (2016): A vida de Elis Regina, uma das melhores cantoras do Brasil, e sua carreira marcada por altos e baixos. A cinebiografia dirigida por Hugo Prata foi eleita como Melhor Filme do Júri Popular, além de render o Kikito de Melhor Atriz para a protagonista Andréia Horta. Assista ao filme no Globoplay.
“Elis” (2016). Foto: Divulgação

 

  • Vai Trabalhar, Vagabundo! (1973): Dino (Hugo Carvana) acabou de deixar a prisão e quer aproveitar a liberdade, revendo os velhos amigos e namoradas. Ele se recusa a trabalhar, preferindo viver na vadiagem. Ao saber que o local onde jogava sinuca está em baixa, ele elabora um plano que fará com que o maior confronto da história da malandragem carioca, entre Babalu (Nelson Xavier) e Russo (Paulo César Pereio), aconteça mais uma vez. Só que Russo está internado em um hospício, enquanto que Babalu deixou a sinuca após se casar com Vitória (Rose Lacreta). Nada que Dino, com sua lábia, não possa resolver. Com música de Chico Buarque, o longa dirigido por Carvana foi o Melhor filme do Festival de Gramado de 1974. Assista ao filme no YouTube.
“Vai Trabalhar, Vagabundo!” (1973). Foto: Divulgação

 

  • O Som ao Redor (2012): A chegada de uma empresa de segurança para proteger uma rua de classe média de Recife agita os moradores. Capitaneada por Clodoaldo (Irandhir Santos), a milícia traz paz para alguns, mas as ações dos vigias expõem uma realidade de preconceitos e injustiças sociais seculares. O excelente primeiro longa de ficção de Kleber Mendonça Filho rendeu-lhe o Kikito de Melhor Diretor, além de ter sido escolhido o melhor filme do Festival de Gramado daquele ano pelos júris do público e da crítica. Assista ao filme no Telecine.
“O Som ao Redor” (2012). Foto: Divulgação

 

  • Netto Perde Sua Alma (2001): Antônio de Souza Netto (Werner Schünemann) é um general brasileiro que é ferido em plena Guerra do Paraguai e agora está se recuperando no Hospital Militar de Corrientes, na Argentina. Lá ele rememora suas participações na Guerra dos Farrapos e o período em que viveu no exílio no Uruguai. O épico dirigido por Tabajara Ruas e Beto Souza foi escolhido o Melhor Filme do Júri Popular, além de ter ganho o Prêmio Especial do Júri no Festival de Gramado. Assista ao filme aqui:

 

  • Quem Matou Pixote? (1996): A trágica e conturbada história de Fernando Ramos da Silva (Cassiano Carneiro), um garoto pobre que ficou conhecido ao interpretar o papel-título em Pixote – A Lei do Mais Fraco (1980), filme dirigido por Hector Babenco. Porém, quando a fama acabou, ele não conseguiu trabalho como ator, se desesperou e acabou enveredando pelo crime, como o personagem que interpretou. O drama do diretor José Joffily levou o Kikito de melhor filme, além de ter sido escolhido como melhor filme pelo Júri Popular de Gramado. Assista ao filme na plataforma Tamanduá.
“Quem Matou Pixote?” (1996). Foto: Divulgação

 

  • Como Nossos Pais (2017): Rosa (Maria Ribeiro), 38 anos, é uma mulher que se encontra em uma fase peculiar de sua vida, marcada por conflitos pessoais e geracionais: ao mesmo tempo em que precisa desenvolver sua habilidade como mãe de suas filhas, manter seus sonhos, seus objetivos profissionais e enfrentar as dificuldades do casamento, Rosa também continua sendo filha de sua mãe, Clarice (Clarisse Abujamra), com quem possui uma relação cheia de conflitos. O drama familiar de Laís Bodanzky foi um sucesso no Festival de Gramado de 2017, levando os prêmios de melhor filme, direção, atriz (Maria Ribeiro), ator (Paulo Vilhena) e atriz coadjuvante. Clarisse Abujamra. Assista ao filme no Netflix.
“Como Nossos Pais” (2017). Foto: Divulgação