#TBTNDM: relembre 5 momentos especiais do Noite dos Museus!

Margs e Memorial do RS são duas das instituições que receberam edições históricas do Noite dos Museus nestes cinco anos de história (Foto: Felipe Fraga / Divulgação)

Quinta-feira é aquele dia de relembrar momentos marcantes nas redes sociais, o famoso #tbt. E a gente está morrendo de saudade de um Noite dos Museus!

Para marcar o fim de maio, quando se comemora o Dia Internacional dos Museus – data superimportante para a história do Noite dos Museus -, a gente lança por aqui o #TBTNDM, que vai relembrar episódios inesquecíveis destes 5 anos de trajetória, marcada por interação entre público e instituições culturais por meio da arte. Confira!

Lembre mais
Noite dos Museus espalha molduras por pontos turísticos de Porto Alegre
Veja como ficaram as instituições culturais iluminadas durante o Noite dos Museus 2020
8 momentos do Noite dos Museus 2020 para não esquecer

2016 – Nossa estreia bombou!

Em 21 de maio de 2016, Porto Alegre recebeu a primeira edição do Noite dos Museus. A festa dos museus da cidade promoveu visitações a oito museus da capital em horário especial, das 19h a meia-noite, em uma experiência que contemplou arte e mobilidade urbana. Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS), Museu de Arte Contemporânea (MACRS), Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo, Museu da UFRGS, Memorial do Rio Grande do Sul, Planetário, Pinacoteca Ruben Berta e Fundação Iberê Camargo receberam mais de 16 mil pessoas, em uma estreia em grande estilo

2017 – Público passa dos 50 mil

Dos 16 mil visitantes da estreia, o evento passou a receber 52 mil pessoas – que conferiram mais de 40 atrações gratuitas em dez espaços da capital gaúcha, das 19h às 0h de 20 de maio de 2017. O Noite dos Museus 2017 contou com a participação do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS), Museu de Arte Contemporânea (MACRS), Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo, Museu da UFRGS, Memorial do Rio Grande do Sul, Planetário, Pinacoteca Ruben Berta, Fundação Iberê Camargo, GoetheInstitut Porto Alegre e o Museu Júlio de Castilhos, que reabriu após fechar para reformas – esses dois últimos, novidade nos espaços participantes. A edição 2017 também contou com uma linha especial da Linha Turismo da prefeitura, que circulou por todos os pontos do evento.

2018 – Nem a chuva espantou a galera

Em uma das noites mais frias do ano, que teve ainda chuva intensa, a edição de 2018 reuniu 20 mil pessoas, que ocuparam os 12 museus participantes e as ruas da cidade. O horário da programação foi ampliado até 1h, com os museus abrindo às 19h e recebendo mais de 50 atrações musicais. Além disso, o público pôde visitar mais dois espaços que foram incorporados ao circuito: o Museu da Comunicação Hipólito da Costa e o Museu Joaquim Francisco do Livramento – Centro Histórico-Cultural Santa Casa.

2019 – Reunimos mais de 100 mil amantes da arte!

A edição de 2019 foi histórica: o Noite dos Museus reuniu mais de 100 mil pessoas com uma programação que acrescentou performances teatrais, de dança e de artes visuais, slam e até palestra sobre gastronomia. A diversidade da programação incluía música erudita, artistas pop, obras sonoras experimentais, cinema clássico e teatro para todas as idades. Foram incorporados ao circuito o Centro Cultural CEEE Erico Verissimo – que propõe atividades para diversas expressões da arte, com destaque para o memorial do escritor que dá nome ao espaço – e o Museu da Brigada Militar, voltado para preservar a história e guardar a memória da Brigada Militar gaúcha.

2020 – Mobilizamos sem aglomerar

Em uma edição obrigatoriamente especial, o Noite dos Museus comemorou 5 anos cheio de adaptações à realidade que se impôs: de forma híbrida, mobilizamos sem aglomerar. Shows em vídeo, apresentações ao vivo em museus vazios e transmissão online marcaram a 5ª edição do Noite dos Museus, que contou com apresentações de nomes em ascensão da cena local, grupos de diversos gêneros musicais e artistas nacionais, como Fernanda Takai e Humberto Gessinger, que se apresentaram de casa. O público amou, a interação foi constante e conseguimos manter o espírito do NDM vivo, mesmo em tempos tão difíceis!